Blog da Nartan

dancasagradagurdjieff

Gurdjieff e o uso terapêutico da dança e do movimento

A dança como um recurso simples e poderoso que permite melhorar o próprio modo de ser e estar, física e mentalmente, no mundo

A dança pode nos proporcionar um meio de mapear os movimentos da nossa psique e, sem perdermos a conexão com o corpo, nos permite a descoberta do extraordinário que há em nós. Utilizando terapêuticos da dança, busco inspirar as pessoas a desenvolverem uma vida com mais criatividade e sentido de pertencimento, aumentando assim seu poder pessoal, bem-estar e a alegria de viver.

Destaco aqui as Danças sagradas de Gurdjieff como um dos pilares do trabalho terapêutico que realizo por meio do Dança Vital:

Danças sagradas para o corpo e o espírito

O ensinamento de um dos mais notáveis mestres espirituais do século 20 nos remete à importância da tomada de consciência de si – por meio da observação de si mesmo – o que pode ser praticado por meio da dança e da música.

As danças sagradas, rituais ou movimentos que Gurdjieff (1866/77-1949) encontrou em suas viagens ao Oriente, ou em particular de seu contato com os dervixes/sufis de Istambul e de outros países, proporiam, cada uma à sua maneira e época, a ordenação da vida de nós, seres humanos, eclodindo como uma espécie de ciência do movimento, da descontração e do relaxamento.

Segundo afirma Pauline de Dampierre, que durante anos foi uma das responsáveis pelas classes de movimentos de Gurdjieff em Paris:

“Ele aprendeu que a lei que governa nossa escravidão e sono espiritual estabelece que o automatismo de nossos pensamentos e sentimentos esteja fortemente ligado com o automatismo de nossos movimentos e posturas. Este é o círculo mágico do qual o ser humano nunca pode escapar sozinho. Mas uma série de novas posições, provenientes de um conhecimento real de uma ordem diferente de leis, pode abrir-nos a uma ordem diferente em nós que nos libertaria, unificaria e nos despertaria para o real significado de nossa vida, para que então nosso ser real possa agir e se fazer ouvir.”

As posturas realizadas nas danças sagradas frequentemente requerem movimentos que não estão associados uns com os outros, assim o automatismo do corpo não faz naturalmente. Também a sequência de posições, a princípio, não são tão fáceis de memorizar, portanto requerem uma atenção sustentada, profunda e ao mesmo tempo relaxada.

É essa atenção especial do “fazer preciso” que, segundo Gurdjieff, faz aparecer uma nova espécie de energia, mais alta e mais altiva, que despertaria a si mesmo, ao mesmo tempo que proporciona ao corpo, com a repetição e ao longo da música, participar/atuar de uma maneira mais livre.

O corpo espiritual

A prática das danças sagradas são como uma espécie de disciplina que aponta para a necessidade de associar o corpo com uma aspiração interior, espiritual. Contudo, é notável que, na sociedade atual, a ligação entre corpo e espírito tem sido cada vez mais esquecida – o corpo vive a parte, e assim vamos sentindo inadequados ou limitados perante nossa existência.

Segundo de Gurdjieff, a relação entre corpo e espírito pode ser estabelecida por aqueles que buscam a consciência de si mesmos com a ajuda do trabalho de movimentos, ou danças, que requerem uma atenção consciente e voluntária, disciplinada, determinada, e com foco no controle do corpo, do sentimento e do pensamento.

Executadas em sua composição completa, as danças sagradas de Gurdjieff provocam, além de mudanças na circulação do sangue, ritmo respiratório e oxigenação cérebro, um estado de lucidez e presença consciência, proporcionando uma relação consigo mais real e portanto saudável.

Um manual de vida com frases do filósofo George Gurdjieff

Dança Vital

Desenvolvo desde 2013, o Dança Vital, um método terapêutico orientado para grupos, com uma gama de danças e meditações. As vivências se baseiam essencialmente nos conceitos de interconexão corporal/emocional (Wilhelm Reich), meditação em movimento (Osho), danças sagradas (Gurdjieff), estudos relacionados aos ritmos brasileiros (Rosângela Silvestre) e aos 5 ritmos (Gabrielle Roth), à Terapia da Criança FeridaLearning Love Institute (Krishnananda e Amana), além de técnicas domo Dançaterapia, Arteterapia e Yoga da voz.

A singularidade do método reside na visão da dança como atividade terapêutica. Ao auxiliar os participantes a se reconectarem com seus corpos, leveza, espontaneidade e graça, as sessões frequentes fortalecem a dinâmica de grupo, e inspiram as pessoas desenvolverem uma vida com mais criatividade e sentido de pertencimento, aumentando assim seu poder pessoal, bem-estar e a alegria de viver.

Leia mais: Dança Vital – expressão criativa, vitalidade e meditação

* Com informações do Instituto Gurdjieff do Brasil

Nartan Lemos é psicóloga e terapeuta corporal com especialização em Terapia de Relacionamento, Criança Ferida, Bioenergética, Dançaterapia e Meditação. Atende individual e casal em Brasília (DF).
Contato: nartanlemos@gmail.com.br | (61) 9 8173-8433.